Enriquecendo Vidas com Luara Barbosa

04:21

Hoje gostaria de compartilhar com vocês um bate papo super legal com a Luara Barbosa Diretora Independente da Mary Kay, conversei com ela sobre a carreira do famoso carro rosa, sobre 2016 e sobre "Passar Blush"





Quem nunca viu um carro rosa passando por ai?
Quem nunca se imaginou elegante como as Diretoras da Mary Kay?
Ou então quem não conhece ao menos um produto desta marca que muitas blogueiras citam como produtinhos bons e baratos nacionais?

Aqui no blog mesmo já testei alguns produtinhos da marca e todos com qualidade MARA, tenho certeza de que você ficou com vontade de conhecer pelo menos algum deles.
Mas, o assunto hoje é sobre esta Menina/Mulher linda com traços marcantes e parece que tem pacto com a câmera (foi difícil escolher 1 foto apenas, todas estavam lindas).
Luara Barbosa, a Lua, nos conhecemos no colegial, sempre linda  e inesquecível, tanto que, se um dia eu tiver uma filha um dos nomes que sempre amei é Luara (POIS É AMIGA).

Durante a entrevista, falamos sobre vários assuntos e quero muito que vocês aproveitem cada palavra, pois tem muito amor em cada uma delas.

Passa Blush que Passa: Como tudo começou?

Luara Barbosa: Eu sempre tive um pouco de dúvidas c om relação a carreira que eu gostaria de seguir, mas desde pequena sempre tive um perfil empreendedor muito aflorado, então fazia bolsinhas de pano, fazia pompom para torcida e quando fui escolher a minha faculdade, não tive dúvidas que seria Marketing, mas por motivos particulares e financeiros, acabei parando, mas esta em minhas metas retomar no próximo ano.

PBQP: Você sempre foi vaidosa?
LB: Eu gostava de me maquiar, mas não sabia como e também não tinha o costume de cuidar da minha pele, eu sempre cobria algumas imperfeições, não tinha muito efeito, pois passava maquiagem cedo, retocava antes do almoço, depois e a noite, sempre gostei muito de rímel, blush e um batom clarinho. Então para mim naquela época isso estava bom.

PBQP: Quando você percebeu que tinha que mudar a sua vida?
LB: Eu já trabalhei em vários lugares, desde empresa de auto-peças até o meu penúltimo trabalho que fio em um banco, lá eu percebi que as pessoas que produziam muito ou que batiam as metas absurdas, que eram reconhecidas, mesmo se eu me esforçasse e as outras pessoas da equipe também, elas nunca eram reconhecidas pelo trabalho se as metas não fossem batidas, eu sempre batia a minha meta, mas nunca era a Top do Ranking, eu não me sentia uma pessoa especial, não era reconhecida e dificilmente era cumprimentada e frequentemente me sentia mais um número na empresa. Eu  sempre acreditei que no sue local de trabalho é necessário ser reconhecido, criar vínculos de amizade, se sentir bem e ter um motivo ou uma missão, que é fazer o que eu gosto e fazer bem para as pessoas.
As condições de trabalho no banco foram ficando escassas, com relação as metas e remuneração, a gota d'água foi quando vendi mais de meio milhão de reais e como reconhecimento eu ganhei um café da manhã meia hora antes do meu horário de trabalho e um troféu de plástico com o meu nome escrito errado, fui falar com o supervisor na época e esta pessoa falou " Leva assim mesmo o seu nome é diferente".
Neste mesmo mês, que eu havia batido a minha meta que já era altíssima o banco mudou a forma de comissionamento e esta mudança iria acontecer a partir dos resultados do mês em que eu havia batido a meta, ou seja não fui reconhecida e não seria remunerada pelo meu trabalho, então percebi que não fazia sentido continuar trabalhando daquela forma, eu não era feliz e então pedi a minha conta.

PBQP: Quando foi o seu primeiro contato com a Mary Kay?
LB: Fui fazer um exame médico admissional para um outra empresa a qual seria contratada depois de sair do banco e estava no consultório aguardando ser atendida desde as 8:00 da manhã e já era 14;00 da tarde e ainda não tinha sido atendida (Novamente falta de respeito). Enquanto eu esperava, entrou uma mulher linda com cabelos lindos e sedosos ao vento, toda elegante com um sorriso de orelha a orelha, ela sentou ao meu lado e começamos a conversar, ela me falou que estava na empresa há cerca de 1 ano e já tinha sido premiada com um carro rosa, estava sendo reconhecida com joias, tinha o próprio negocio e ainda por cima, fazia o próprio horário. Ela então me deu um cartão e falou que ia me mandar algumas informações por E-mail, eu li o que ela me mandou, e pensei! " é exatamente isso que eu quero", na semana seguinte, vim encontrá-la no escritório onde estou hoje e foi ai que iniciei a minha trajetória na Mary Kay. Ela desde o inicio foi muito importante neste processo, sempre me estimulou e me deu atenção e respaldo quando mais precisei. Não investi muito de inicio, pois já tinha investido em pratas, então a minha primeira compra foi com o restinho de dinheiro que eu ainda tinha.

PBQP: Quando foi o seu Day One?
LB: Foi quando eu pedi os R$800,00 em produtos, marquei uma sessão de beleza em um salão e em 2 horas, vendi o meu pedido inteiro e sai de lá com mais R$200,00 em pedidos novos. Além disso, na minha caixa de produtos iniciais veio a base Bege Clara, que por conhecidência é a base que uso até hoje, e quando experimentei ela pensei "não existe nenhuma outra base melhor que esta!"

PBQP: Me fale um pouco sobre a empresa do Carro Rosa?
LB: Com o desejo de enriquecer a vida das mulheres e um apurado senso para os negócios, a Srª Mary Kay Ash desenvolveu sua companhia dos sonhos, e se tornou um exemplo a ser seguido. A Srª Mary Kay Ash adotou a Regra de Ouro, como principio básico, "Faça para os outro o que você gostaria que fizessem com você mesmo" e enxergar todas as pessoas com uma plaquinha" Faça-me sentir importante". Ela também acreditava que as prioridades da vida deveriam estar balanceadas, o que significa "fé em primeiro lugar, família em segundo e carreira em terceiro" Quando as prioridades da sua vida encontram-se balanceadas, todo o resto vai bem.
A empresa é um ambiente focado em reconhecimento e em enriquecer vidas.
Atualmente esta presente em 38 países e os 3 principais consumidores são: China, Estados Unidos e Brasil

PBQP: A sua trajetória foi sempre vitoriosa?
LB: Á cerca de 1 ano e meio atrás eu parei com o meu trabalho na Mary Kay, por conta da minha baixa Auto-estima, eu me comparava com as mulheres que trabalhavam na empresa e não me achava tão boa quanto elas e também escutava todos os dias, que eu não daria certo e que tudo isso que eu estava vivendo não era para mim, certa vez eu me lembro que ganhei um salario muito bom e esta pessoa que estava comigo na época nem me parabenizou por isso, o que me fez perguntar para ele do motivo, ele então me falou " quando eu achar que você merece os parabéns eu darei".
Durante este tempo eu estava vazia e nada fazia sentido, e dia após dia eu ouvia as afirmações: você não vai dar certo, você não consegue, você não será nada sem mim! - Lógico que passei a acreditar nisso. Então abri mão de viver neste ciclo e voltei para Mary Kay e novamente fui acolhida de braços abertos, sai de diretora Sênior para consultora Sênior, eu voltei para o primeiro degrau do plano de carreira. E neste contexto eu comecei a me auto-afirmar, me aproximei de pessoas positivas e fui buscar Deus e a minha família também me ajudou muito nesta época, no decorrer deste período a minha líder (aquela que encontrei na sala do consultório médico) hoje é Diretora Nacional  que é o topo máximo da empresa, esta mulher sempre me ajudou, sempre esteve ao meu lado e soube reconhecer em mim o meu potencial que algumas vezes nem eu consegui enxergar.
Hoje estou um degrau a menos de quando eu parei, mas hoje sou muito mais realizada, plena e certa do que eu quero. Em um 1 ano fui reconhecida e ganhei uma joia, que é uma abelha e tem um valor inestimável para mim (A abelha para quem não sabe, de acordo com o seu tamanho e aerodinâmica, não poderia voar, mas ninguém nunca conseguiu falar isso para ela!).

PBP: Como foi 2016 para você?
LB: Foi um ano de mudanças e o ano em que resgatei os meus sonhos, eu voltei a pensar em mim e a pensar em tudo o que eu queria para mim antes do meu antigo relacionamento. Eu havia feito uma lista de metas e encontrei durante a minha mudança, eu simplesmente consegui conquistar tudo, menos o carro rosa que eta para chegar!

PBQP: Onde você se vê daqui alguns anos?
LB: Eu me vejo nos cargos mais altos da empresa, terminando a minha faculdade, fazendo cursos na área e de línguas, me vejo viajando e me vejo sempre enriquecendo vidas e para isso todos os dias estou me lapidando

PBQP: Passa Blush que Passa?
LB: Para mim isso vem a desenvolver a auto estima, sempre lembrando que a Auto-estima vem de dentro para fora, de como agente se trata e de como agente se vê, das crenças limitantes ou não que impomos para nós mesmos. Quando não estamos bem, vem do movimento inverso, se olhar no espelho se achar linda e focar os pontos positivos, se arrumar, passar uma maquiagem, arrumar o cabelo, se sentir linda e finalizar com um Blush, um rímel, uma mascara de cílios e um batom.


Esta entrevista foi muito legal e valiosa, por várias vezes me emocionei ao ver a trajetória de vida desta menina/mulher. Me levou a entender a importância de fazer o que você gosta o que te dá brilho nos olhos, sempre vai ser um sucesso e sempre vai dar muitos frutos.

Se alguém ainda quiser saber mais informação sobre esta linda trajetória da Luara, tenho certeza de que ela ficará muito feliz em recebê-las em seu escritório, procurem ela em suas redes sociais e veja como não estou mentindo, "ela é realmente linda" - Por dentro e por fora. Instagran  e Facebook .

Mais uma vez, Obrigada Luara, pela confiança, obrigada por dividir comigo esta parte de sua vida!

Bejos Rosa e com muito blush
Thamires



















You Might Also Like

4 comentários

Posts Populares

Redes Sociais

Postagem em destaque

As Top das Tops - Séries da Netflix

Quem inventou o amor...me diga por favor?  Quem inventou a Netflix...me diga por favoooooooooooooooor? Alias nem precisa, contato que e...